Home

Acesso






Esqueceu sua senha?
Esqueceu seu nome de usuário?
Ainda sem conta? Registrar-se

Vinhaça, um grande benefício ao canavial PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcelo de Felício   
Qua, 29 de outubro de 2008 10:37
 

A vinhaça é conhecida como um líquido marrom escuro de natureza ácida, que sai da bica de destilação do álcool a uma temperatura mais ou menos de 107 ° C, de cheiro desagradável, poluente e corrosivo.

Tendo o nome popular de “restilo”, “vinhoto” ou “garapão”, sempre foi um problema nas usinas e destilarias de álcool e açúcar. Entretanto, dada a sua riqueza em (k) potássio, (M.O) matéria orgânica, (N) nitrogênio, (S) enxofre, (Ca) cálcio e teor de água, passou a ser aplicada nas lavouras de cana com grande sucesso econômico.

Nos primórdios do Pró-Álcool, o sistema de técnicas de aplicação da vinhaça era bastante difundido nas usinas e destilarias do país, nas áreas de sacrifício e sulcos de infiltração. No entanto, com o passar do tempo, ocorreu a eliminação desses sistemas porque eles não proporcionavam o aproveitamento racional da vinhaça e impunham riscos de poluição das águas subterrâneas.

Nos dias atuais, as empresas se utilizam de canais (sistema de um canal principal ou mestre, de onde o líquido é distribuído a outros canais, denominados secundários, a partir dos quais é aplicado) ou caminhões tanques para conduzir o líquido em pontos convenientes, onde, por meio do método de aspersão, utilizando motores elétricos ou diesel, é aplicado nos canaviais.

A aplicação de vinhaça nas lavouras, bem como a fertirrigação, é prática adotada por todas as usinas e destilarias com tecnologia conhecida e bem definida, existindo inúmeros ensaios que comprovam os resultados positivos obtidos na produtividade agrícola, associados à economia dos adubos minerais.

A vinhaça é produzida e utilizada durante toda a safra canavieira, que em geral vai de maio a dezembro, e é 100% utilizado como método de fertirrigação em canaviais. Em tese, a produção de vinhaça varia em função dos diferentes processos empregados na fabricação do álcool.

De maneira geral, cada litro de álcool produzido em uma usina ou destilaria gera de 10 a 15 litros de vinhaça.

Formas de aplicação, vantagens e desvantagens

Os sistemas utilizados atualmente para fertirrigação das lavouras canavieiras com líquidos, vinhaça e águas residuárias existentes são:

- Caminhão-tanque convencional e aplicação por aspersão: na aplicação por aspersão são utilizados o sistema de montagem direta e autopropelido com carretel enrolador, podendo este ser alimentado diretamente de canais ou a partir de caminhões.

O sistema de fertirrigação com caminhões-tanque num passado recente era o mais difundido para distribuição de vinhaça. Apresenta como vantagem o curto tempo exigido para sua implantação, isto é, praticamente basta adquirir a frota e colocá-lo em operação.

Possivelmente, este fato foi determinante para sua rápida difusão nas usinas e destilarias do país. Como limitações existentes desse sistema destacam-se o agravamento dos problemas de compactação de solos, impossibilidade de aplicação em áreas com cana-planta, dificuldades em dias de chuva, baixa uniformidade de distribuição e pequena distância na qual a prática da fertirrigação é economicamente viável em comparação com a adubação mineral.

A vinhaça, diluída com águas residuárias ou não, pode ser aplicada por meio de sistemas de irrigação por aspersão, sendo o sistema de montagem direta e o autopropelido com carretel enrolador os utilizados nas usinas e destilarias do Brasil.

- Sistema montagem direta: consiste, basicamente, em um conjunto moto bomba acoplado a um aspersor tipo canhão, ambos montados sobre chassis com rodas. O sistema também pode ser dotado de extensões (tubulações), com o objetivo de aumentar o espaçamento entre canais, ou seja, para diminuir a quantidade de canais que atravessam os talhões de cana.

A principal vantagem do sistema de aspersão com montagem direta, quando comparado com o sistema de caminhões-tanque, é o menor custo por unidade de área fertirrigada. Por outro lado, a maior limitação é a exigência de uma rede de canais alimentadores, que implica em sistematização parcial do terreno e recortes da lavoura de cana, quando a implantação não é realizada na época da reforma do canavial.

- Sistema autopropelido com carretel enrolador: é o mais difundido atualmente nas usinas e destilarias, sendo o mesmo introduzido com o objetivo de substituir a extensão da montagem direta de aspersão.

A vantagem principal do sistema é ser semi-mecanizado e, portanto, requer menos mão-de-obra que a montagem direta (transporte e manuseio das extensões). Por outro lado, o autopropelido exige maior potência da moto bomba e consequentemente consome mais combustível.

- Conclusão: O uso agrícola da vinhaça e os seus benefícios oriundos do solo são indiscutíveis, tanto do ponto de vista agronômico e econômico, quanto social. O benefício imediato decorrentes do uso racional desse resíduo nas lavouras canavieiras se dá pelo aumento da produtividade, que ocorre com mais intensidade em solos mais pobres e em regiões mais secas. Incluem-se aqui a economia de fertilizantes e a preocupação cada vez maior da sociedade com o risco que esse material altamente poluente pode causar aos cursos d’água superficiais (rios, lagos, nascentes e várzeas) e ao lençol freático através da percolação até as águas subterrâneas. Essa preocupação é mais latente uma vez que esse tipo de poluição não é imediatamente notado e muitas vezes quando constatada, sua possibilidade de reversão é pequena. Saídas tecnológicas são apontadas por muitos especialistas como a principal alternativa para se diminuir a carga orgânica desse resíduo e reutilizá-lo na fertirrigação com um menor risco de dano à natureza. Cabe também ao fornecedor de cana entrar em contato com a usina ou destilaria que fornece sua produção para saber qual a viabilidade financeira da técnica de aplicação de vinhaça em seu canavial.

Como já citado acima, são enormes os benefícios, podendo ser resumidos em aumento da produtividade, longevidade do canavial, melhoria na brotação de soqueiras, fornecimento de nutrientes e economia na adubação química da cultura entre outros.

Última atualização ( Sex, 14 de maio de 2010 09:24 )
 
Copyright © 2014 Agrofit. Todos os direitos reservados à .